Poda do Bonsai

A poda do bonsai tem uma função restauradora para além da função estética. Permite a renovação de ramos, dá-se assim um rejuvenescimento. Removem-se ramos com problemas, mal posicionados ou mortos, removem-se áreas foliares menos saudáveis. Consegue-se também com a poda um equilíbrio entre a massa foliar e área radicular, por exemplo durante um transplante. A poda é algo fundamental para os bonsai, estabelece-se uma estrutura básica, evitam-se problemas, equilibram-se ou desviam-se as energias (força) de crescimento.

Como podar um bonsai

Regras

*Pode-se podar o bonsai em qualquer período do ano desde que haja crescimento visível

Podas de refinamento e manutenção

São podas para manter o bonsai com um aspecto de bonsai. Quando se deixa o bonsai crescer demasiado, torna-se “selvagem”, um arbusto. Como está num vaso pequeno, começa a ter demasiada energia despendida na ramificação e poucas raízes para alimentar essa massa, isto porque o vaso limita o crescimento das mesmas. O Bonsai começa a dar sinais de stress e os problemas começam.

Pinçagem

É efetuada com tesoura, pinça ou com os dedos, e consiste no corte ou retirar as pontas de crescimento da planta.

Nos pinheiros retira-se o topo de crescimento, a maior parte das vezes é suficiente cortar as gemas terminais com os dedos, mas pode usar a tesoura. As gemas terminais inibem a ramificação, mas assim que são cortadas, aparecem novos rebentos na área cortada obtendo-se assim novos ramos.

Nos Juniperus faz-se aproximadamente o mesmo, retira-se ou apenas as pontas de crescimento ou áreas ligeiramente maiores. É uma poda eficaz para se obter uma massa foliar mais densa. Uma vez que vão aparecer novas brotações nos ramos imediatamente atrás.

Nas resinosas, obter crescimento nos ramos antigos é quase uma questão de sorte. Se tivermos que reduzir um ramo mais drasticamente , o mais provável é o ramo não resistir e secar. Pelo que uma manutenção eficaz, evitará que se tenha de ser “drástico”.

Folhosas

Existem varios tipos de posição de folha. Folhas que nascem em posição diferente no ramo (uma mais acima e outra mais a baixo), folhas geminadas (uma ao lado da outra) e folhas de grupo.

Quando as folhas têm uma posição assimétrica, comum nos Ulmus, poda-se de modo a dirigir o possível ramo que nascerá junto das folhas.

Nota: Deve-se podar sempre 2mm ou mais acima da união da folha com o ramo, nunca se poda junto à folha ou arriscamo-nos a perder aquele futuro rebento.

Nas folhas geminadas, comum nos ligustrum, os ramos nascerão para ambos os lados junto às folhas, a preocupação é apenas a de não se cortar demasiado junto a estas.

Corte de folhas

Corta-se metade da folha quando temos uma planta com problemas e precisamos que não despenda tanta energia a alimentar folhagem, ou até a incentivar que dê mais rebentos. Outra utilidade é a de árvores que deviam dar flor/fruto e têm dificuldade, na época antes do acontecimento, faz-se o corte da folha.

Corta-se a folha deixando o pecíolo agarrado ao ramo/tronco quando se quer fazer uma desfolhagem. A desfolhagem consiste em cortar todas as folhas logo a seguir às primeiras folhas da primavera se tornarem adultas. Tal, permite que as folhas que nascem a seguir sejam mais pequenas e com um aspecto limpo e jovem.

Atenção: Nem todas as espécies permitem que se lhes faça uma desfolhagem, e algumas é trabalho que de nada serve (as espécies de folha caduca perdem as folhas todas no Inverno). Algumas espécies, se lhes cortar as folhas todas, morrem. Outro cuidado é que a planta tem de estar de perfeita saúde, se estiver stressada ou doente pode nunca recuperar.

Poda mais “drástica” ou estrutural

A poda mais drástica ou estrutural é geralmente utilizada para formar o bonsai, definir os ramos que farão parte do “desenho”. Pode-se cortar um ramo para o retirar, mas não se pode contar com o fato de que cortando metade do comprimento do ramo, o que fica volte a brotar. Nem todas as espécies conseguem fazê-lo e as que conseguem tudo depende da saúde e época do ano.

As podas de ramos grossos são feitas ou com serra ou com um alicate próprio para tal.

Devemos lembrar-nos que a cicatriz deixada por remover ramos finos cicatriza relativamente bem, mas que a de ramos mais grossos pode demorar muito tempo se não for tratada convenientemente. Para tal usa-se pasta cicatrizante que ajuda que a área não perca humidade demasiado rápido o que atrasaria a cicatrização.

Existem vários tipos dessas pastas, algumas são agressivas e pintam a árvore, uma vez que usam óleos, piche e outros componentes. Outros secam demasiado rápido e perdem o efeito desejado. Um bom exemplo disso é a cera… sim, existe quem use cera, geralmente vê-se mais em roseiras e algumas árvores de fruto compradas por aí.

O melhor método de obter cicatrização rápida é deixar a árvore crescer livremente num vaso maior ou até diretamente no terreno.

Encontrou algum erro de ortografia ou gramática? Selecione-o com o mouse e pressione Shift + Enter ou clique aqui para nos notificar. Obrigado!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0

Your Cart