Ferramentas para Bonsai

Nem sempre a quantidade de ferramentas para bonsai que se dispõe garante a excelência do trabalho executado. Por outro lado, quanto maior for o grau de complexidade do trabalho e das técnicas empregadas, maior também a quantidade e a especificidade das ferramentas requeridas.

Ferramentas para Bonsai

No sentido inverso, para um trabalho apenas de manutenção ou replantio de um bonsai formado, o instrumental necessário é bem mais reduzido. Assim, as ferramentas apresentadas adiante são de grande valia na realização adequada das técnicas empregadas na arte do bonsai, embora tal conjunto mostrado não esgote o assunto.

Aquele que se inicia com a criação de bonsai, normalmente, mostra-se preocupado com a aquisição própria do “arsenal” de ferramentas, acessórios e consumíveis que o bonsaísta mais experimentado dispunha para aquela demonstração que o iniciante assistia. Sempre começamos por estilos básicos, com técnicas básicas e ferramentas básicas.

Ferramentas para Bonsai

Abaixo abordaremos sobre ferramentas básicas, ferramentas intermediárias, ferramentas avançadas, acessórios e consumíveis.

FERRAMENTAS BÁSICAS

O conjunto mínimo de ferramentas contém uma tesoura de poda, um alicate de corte côncavo e um alicate para cotar arame.

  • TESOURA DE PODA – “BOJUDA”
    Sua forma permite explorar bem a força da mão. É uma ferramenta forte que se presta à poda de galhos finos a médios e, principalmente, de raízes. O iniciante, enquanto não dispõe de tesoura de poda foliar, pode fazer desta a sua “tesoura universal”. Adiante, esta ferramenta deverá ser dedicada quase que exclusivamente ao trato com raízes, preservando-se as outras para os usos mais “limpos” e delicados.
  • ALICATE DE CORTE CÔNCAVO
    Esta foi a primeira ferramenta de poda para bonsai a ser criada. Propicia um corte “limpo”, total e côncavo numa única ação, favorecendo maior rapidez de cicatrização e um resultado discreto.
  • ALICATE PARA CORTAR ARAME
    O simples ato de cortar um pedaço de arame não implica na aquisição de um alicate desenvolvido para o trato com o bonsai. Para tal, basta um alicate comum. Entretanto se a tarefa é “desaramar” um galho de bonsai, ou mesmo um pré-bonsai que estimamos muito não se deve correr o risco de danificar o galho por improvisações. O formato da “cabeça” desta ferramenta, por si, protege a seção da árvore de onde é retirado/cortado o arame. Mesmo para cortar arames de grosso calibre (até 6mm de alumínio), o esforço que é aplicado é bastante pequeno, em face do efeito alavanca oferecido pelo alicate apropriado. Tal fato também minimiza o risco de danos a árvore.

FERRAMENTAS INTERMEDIÁRIAS

Avançando um pouco mais na montagem do estojo de ferramentas, serão abordados adiante a tesoura de poda foliar, o alicate de corte esférico, o rastelo e as pinças.

  • TESOURA DE PODA FOLIAR
    Ferramenta leve e rápida na prática da desfolia. Empregada também na poda de brotações novas ou ramos ainda tenros. Por sua forma longelínea, acessa mais facilmente o interior da copa do bonsai.
  • ALICATE DE CORTE ESFÉRICO – “BOLA”
    Este alicate tem a função de esmerar os cortes antes feitos por outras ferramentas, objetivando um maior aprofundamento esférico do local podado, gerando com isto maior aceleração da cicatrização, com maior qualidade. Estas ferramentas têm usualmente as hastea/cabos curvados. Elas devem ser usadas com o exterior da curva apoiado na palma da mão.
  • RASTELO
    Normalmente o rastelo está combinado com uma espátula na mesma ferramenta. O rastelo é usado para o desmonte de torrão. A espátula é um auxiliar no “desenvase” de plantas postas em bandeja por muito tempo e cujas raízes aderiram à bandeja.
  • PINÇAS
    Basicamente tem-se dois tipos de pinças: de corte e de pega. A pinça de corte é empregada na desfolia ou na eliminação de brotos tenros. O tipo de “pega” tem usos variados, desde o pinçamento de pinus (“agulhas” e “velas jovens”) até a catação de folhas secas no interior da copa.

FERRAMENTAS AVANÇADAS

O emprego destas ferramentas, via de regra, indica o grau de paixão do praticante da arte do bonsai. Significa, num primeiro plano, o interesse pelo detalhamento de uma obra, e mais a frente, o aprofundamento nas técnicas de criação do bonsai.

  • ALICATE DE “JIN”
    É usado na criação de “jin”, auxiliando na retirada da casca de um galho recém podado. Também é muito útil para conduzir a parte final do arame, particularmente o mais grosso, numa tarefa de aramação.
  • ALICATE DE RAÍZES
    Próprio para o corte de raízes mais grossas. Embora “limpo”, o corte é plano/reto, ou seja, não é côncavo.
  • ALICATE RACHA-TRONCO
    Muito útil no trabalho com madeira morta, na criação de “jin” com dimensão grande.
  • GANCHO PARA RAÍZES
    A tarefa de redução de um torrão de maior porte é bastante facilitada com o uso desta ferramenta.
  • CANIVETE OU LÂMINA
    Usado principalmente na execução de enxertia e alporquia.
  • SERROTE
    Utilizados, preferencialmente, aqueles com lâmina delgada, curta e com dentes finos. Veja Serrotes

ACESSÓRIOS

Estes componentes do estojo do bonsaísta são de igual importância as ferramentas, muito embora de mais fácil aquisição.

  • VARETA DE BAMBU – “HASHI”
    Este é o instrumento de uso mais freqüente e diversificado nas práticas com o bonsai. É indispensável na finalização da retirada do solo das raízes, assim como na “acomodação” do substrato entre as raízes no ato do plantio/replantio.
  • PEGADOR DE SOLO
    Com o pegador a colocação do substrato na bandeja é mais precisa e o resultado mais limpo. Existem pegadores que dispõem de uma tela na parte inferior do seu corpo, cuja função é eliminar partes muito finas (pó) do substrato.
  • PENEIRAS
    São utilizadas na separação granulométrica dos componentes que integrarão o substrato adequado para cada plantio.
  • ESCOVAS
    Podem ser de aço ou de “nylon”. As primeiras são muito úteis no preparo de madeira morta para “jin”, “shari” e acoplamentos. As outras, na limpeza de galhos, tronco, nebari e raízes.
  • CINZEL
    São encontrados com o cabo de madeira ou fabricados em uma única peça de metal. Via de regra, os últimos são mais resistentes. São instrumentos utilizados para esculpir principalmente partes mortas do tronco e dar detalhamento a “jin”.
  • VASSOURINHA
    Presta para a limpeza da superfície do substrato, retirando folhas, resto de arame e excesso de solo.
  • GRAMPO DE CURVAR
    Utilizados para dar movimento/curvatura à seções pouco flexíveis da árvore. Veja Grampo de Curvar
  • MESA GIRATÓRIA
    O seu uso oferece muito conforto no rápido e prático giro da árvore para a visualização e/ou trato dela, sem esforço para o observador e sem riscos de danos para a árvore, principalmente quando se trata de um exemplar de maior porte.

CONSUMÍVEIS

Nesta categoria estão reunidos os materiais de consumo cotidiano na prática da arte do bonsai.

  • ARAME
    O tipo mais utilizado é de alumínio coberto por uma película de cor próxima a bronze, com vistas a dissimular a presença de aramação. Quando a seção da árvore a ser monitorada é bastante resistente, o uso de arame de cobre recozido é o mais indicado – este tipo ainda é incomum no Brasil.
  • CICATRIZANTES
    Variam em composição e densidade. É recomendável ter a mão as apresentações na forma de pasta e de massa. Ambas são de grande utilidade e eficácia no trato das “feridas” provocadas pelas podas.
  • TELA DE DRENAGEM
    Muito importante na contenção do substrato na bandeja. A sua ausência sobre os furos de drenagem da bandeja pode significar a perda de substrato com a água da rega.
  • CALDA SULFOCÁSTICA
    Utilizada no trato da madeira morta, “shari” e “jin”, conferindo mais resistência e estética à madeira.

Fonte: Sociedade Brasileira de Bonsai

Encontrou algum erro de ortografia ou gramática? Selecione-o com o mouse e pressione Shift + Enter ou clique aqui para nos notificar. Obrigado!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0

Your Cart